Segunda-Feira, dia 04 de Outubro de 2021
Director - Pe. F. Caetano Tomás
Links Eventos AFAUCSSR Assinar Edições
O Alcoolismo Feminino

Dezembro de 2020

O Alcoolismo Feminino

À Unidade de Alcoologia da Casa de Saúde S. Rafael, compete prestar cuidados a doentes com síndrome de abuso ou dependência alcoólica em regime de internamento, quer a senhores quer a senhoras. A intervenção não se restringe apenas ao doente internado, pois passa também pelo apoio/acompanhamento necessário às famílias/significativos envolvidos neste processo, bem como no seguimento pós alta em consulta de follow-up.
Para além disso, são realizadas consultas motivacionais, com o objetivo de intervir na motivação para a mudança de comportamentos, dos indivíduos que recorrem aos nossos serviços.
Somos uma Unidade certificada pelo referencial de qualidade EQUASS- European Quality in Social Services, e de referência na nossa região, com uma equipa com competências especializadas e formação específica, na área das dependências com especial enfoque no alcoolismo.
A 8 de Março de 2019, a Unidade de Alcoologia passou a receber utentes do sexo feminino.
Após um ano e meio a funcionar com grupos mistos de utentes, não podíamos estar mais satisfeitos com os resultados.
Depois de 20 anos a intervir junto da população do sexo masculino, esta nova realidade tem sido uma experiencia positiva e desafiante, e que demonstra uma preocupação clara com as necessidades de todos os que dela necessitam, sempre numa vertente de melhoria continua e alargamento de respostas.
O alcoolismo é caracterizado pelo uso abusivo de bebidas alcoólicas, e é responsável direta ou indiretamente por problemas familiares, sociais, profissionais, físicos e psicológicos.
Quando pensamos em alcoolismo, o primeiro pensamento recai sobre os homens.
No entanto, e embora em valores inferiores, segundo os últimos dados do SICAD, 24,9% das mulheres consumiram + 60gr/episódio único nos últimos 30 dias (+/- 5 bebidas), sendo a prevalência de problemas ligados ao álcool de 9,2% nos homens e de 2,6% nas mulheres.
Portugal é dos países da União Europeia com maiores consumos e problemas ligados ao álcool (12.3 L de puro álcool).
A incidência de problemas ligados ao álcool nas mulheres é uma doença muito comum, caraterizada por um alcoolismo escondido e encapotado em relação aos consumos do homem.
É uma doença silenciosa, onde os valores apresentados talvez apontem para a ponta do “iceberg”. É um fenómeno em crescimento nas últimas décadas.
Com a modificação dos papéis da mulher na sociedade a partir da década de 70, a qual abandona a vida doméstica para viver de um modo muito mais intenso a vida social, com papel igualitário ao homem, o alcoolismo feminino surge como problemática.
Essa realidade acabou por ser influenciada em muito pela publicidade, pelos diferentes cargos profissionais e responsabilidades acrescidas, e pelo crescimento das atividades e comprometimento na sociedade.
De acordo com os dados do SICAD, existe um aumento do consumo de álcool entre as mulheres portuguesas, bem como entre os jovens e na faixa etária acima dos 45 anos.
O alcoolismo na mulher é muitas vezes uma forma de se livrar de sintomas associados a quadros depressivos, ansiedade, antecedentes de abuso sexual na infância, desemprego, a saída de casa dos filhos - síndrome de ninho vazio -, reforma antecipada ou não, conflitos familiares, divórcio, violência física e psicológica por parte do companheiro, problemas económicos e o isolamento.
De salientar que na conjuntura atual, já existem dados que revelam que o isolamento devido ao COVID-19, originou que o alcoolismo tenha aumentado quer em mulheres quer em homens.
O medo do estigma, a vergonha, sentimentos culpabilizantes, e a reprovação social contribuem para uma dependência “escondida” e diagnosticada muitas vezes de forma tardia.
É importante que estas mulheres assumam a sua dependência para poder tratá-la, procurando ajuda junto da família, do seu médico assistente e do psiquiatra, das equipas de intervenção em comportamentos aditivos, porque quanto mais tarde o diagnóstico, mais difícil será o tratamento.
É fundamental que estas mulheres percebam que os técnicos de saúde não pretendem julgá-las, mas sim identificar o problema para poderem iniciar um tratamento o mais precocemente possível, e aproveitar a fase da vida em que exista motivação e rede de suporte para poderem ser tratadas.
Ninguém imagina que um dia irá sofrer de alcoolismo, mas infelizmente a doença não escolhe gênero, condição social ou idade. Por isso, caso perceba os sintomas, procure ajuda.
A Unidade de Alcoologia da Casa de Saúde de S. Rafael e a sua equipa, está presente na Região autónoma dos Açores desde 1 de Fevereiro de 1999, contando com uma capacidade atual de internamento de 9 pessoas e dispondo de um programa estruturado e alicerçado em parcerias.
Este é um trabalho conjunto, de reunião de saberes de uma equipa multidisciplinar, composta por diversos profissionais, em prole dos nossos utentes e de uma doença que, nos tempos atuais, está cada vez mais presente na nossa sociedade.
Se tiver problemas com álcool, não hesite em nos contactar!
É sempre tempo de nos valorizarmos e cuidarmos da nossa sua saúde!
Rafaela Aguiar

Retroceder

1

Temas da última edição

O irresponsável

Redacção e Administração:
CASA DE SAÚDE S. RAFAEL
Caixa Postal: 9701-902 Angra do Heroísmo
Telefone: 295204330
Propriedade:
Província Portuguesa da Ordem Hospitaleira de S. João de Deus - Casa de Saúde S. Rafael
Contribuinte N.º: 500927731
N.º Registo do título: 100460
Director:
Redactores:
Marco Pavão, Mónica Morais e Leonor Brás
Tiragem Bimensal:
Jaime Cruz, HS - Angra do Heroísmo


Contador grátis Web Development - Via Oceânica 2009 - Todos os Direitos Reservados Email - cssr.angra@isjd.pt