Terça-Feira, dia 06 de Abril de 2021
Director - Pe. F. Caetano Tomás
Links Eventos AFAUCSSR Assinar Edições

Abril de 2021

A Voz da Alcoologia… Testemunho!

Filha de pai extremamente controlador, e de mãe desligada dos filhos efetivamente, cedo comecei o meu caminho por comportamentos aditivos, com consequências no rendimento escolar, e na falta de sabedoria para lidar com os traumas emocionais, que quase todos nós, de uma forma ou outra, temos em algum momento da nossa vida. O último (espero) foi o álcool. Comecei recentemente. Há cerca de um ano, comecei a beber um copinho para conseguir lidar com situações menos agradáveis da minha vida. O álcool desinibia-me, e fazia com que os problemas parecessem menores, além de me dar coragem (fictícia) para dizer e fazer aquilo que sem ele não era capaz.
Nunca pensei ficar dependente, nem sei em que momento isso aconteceu, sendo que foi a minha família mais próxima que deu por isso, fazendo com que eu tomasse consciência de que realmente tinha um problema, embora eu pensasse sempre que podia controla-lo. Afinal, eu nunca ficava bêbeda a cair, e até (pensava eu) me ajudava nos momentos em que tinha de tomar alguma posição sobre aos problemas que me afetavam. Ainda por cima, bebia às escondidas, (julgo ser típico no alcoolismo no feminino) e por isso, em ambiente social ninguém dava por nada. O único senão para mim, era realmente a vergonha de comprar a bebida, já que os vendedores podiam, dar conta, de certeza, pelo facto de eu a comprar recorrentemente, embora tentasse disfarçar.
Acontece que fui posta entre a espada e a parede: ou me tratava, ou deixava de ver a minha família. Assim, aceitei fazer o tratamento com internamento. Primeiro para agradar à família, e só depois, e já internada, para tratar o problema, já que foi nessa altura que tive a real consciência dele.
Acabado o tratamento, penso ter ganho consciência para ao regressar a casa, me aguentar sem beber. Saber que posso contar com a equipa com quem estive durante este tempo, por pelo menos mais dois anos, será de certeza uma mais-valia na minha reabilitação, e espero sinceramente ter aprendido que o álcool, ou outra adição qualquer, não resolve problema nenhum, com a agravante de nos tornar menos saudáveis, muitas vezes só adiando os problemas existentes. Podemos até tomar decisões, que sem ele (álcool) nos arrependeríamos seriamente, já que as mesmas não são tomadas em consciência plena das nossas faculdades.
Anónima

Retroceder

1

Temas da última edição

O irresponsável

Redacção e Administração:
CASA DE SAÚDE S. RAFAEL
Caixa Postal: 9701-902 Angra do Heroísmo
Telefone: 295204330
Propriedade:
Província Portuguesa da Ordem Hospitaleira de S. João de Deus - Casa de Saúde S. Rafael
Contribuinte N.º: 500927731
N.º Registo do título: 100460
Director:
Redactores:
Marco Pavão, Mónica Morais e Leonor Brás
Tiragem Bimensal:
Jaime Cruz, HS - Angra do Heroísmo


Contador grátis Web Development - Via Oceânica 2009 - Todos os Direitos Reservados Email - cssr.angra@isjd.pt